Fotografo: Reprodução
...
Sem Legenda

De acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o Pará registrou 418.967 linhas fixas em operação no mês de dezembro de 2018. Em relação ao mês anterior, dezembro apresentou diminuição de 3.260 unidades (-0,77%) e nos últimos 12 meses a redução foi de 28.929 linhas (-6,45%). Em dezembro do ano passado, 182.525 linhas fixas foram registradas pelas autorizadas no Estado e 236.442 pelas concessionárias.

Em 12 meses, as autorizadas tiveram redução de 16.004 linhas (-8,76%) e as concessionárias, menos 12.925 linhas (-5,46%). Comparado a novembro de 2018, houve diminuição de 447 linhas (-0,24%) entre as autorizadas e nas concessionárias a redução foi de 2.813 linhas (-1,17%).

Esse cenário de queda foi observado em todo o País, que fechou o ano de 2018 com 38.306.837 linhas de telefonia fixa em operação (16.576.291 linhas fixas pelas autorizadas e 21.730.546 pelas concessionárias), decorrente de uma redução de 250.190 unidades (-0,65%) no mês e de 2.071.090 (-5,13%) ao longo do ano.

Comparado a novembro último, houve redução de 30.000 linhas (-0,18%) nas autorizadas e nas concessionarias a perda foi de 220.190 linhas (-1,00%). Já nos 12 meses, as autorizadas tiveram decréscimo de 310.158 linhas (-1,84%) e as concessionárias, menos 1.760.932 linhas (-7,50%).

Entre as autorizadas, a Claro registrou a maior participação de mercado, 10.430.280 de linhas fixas no país (62,92%), seguida pela Vivo, com 4.335.854 (26,15%), e TIM, com 882.095 (5,32%). Em relação às concessionárias, a Oi possui o maior volume de linhas fixas, 12.234.092 de linhas (56,29%), seguida pela Vivo, 8.602.961 linhas (39,58%) e pela Algar Telecom, 736.325 de linhas (3,38%).

Ainda no que concerne às autorizadas, no mês de dezembro, o Estado de São Paulo apresentou a maior quantidade de linhas fixas com 5.594.162 de linhas fixas (33,74%), seguido pelo Rio de Janeiro, 1.987.601 (11,99%), e Paraná, com 1.546.240 (9,32%). Entre as concessionárias, São Paulo registrou 8.777.932 de linhas fixas (40,39%), seguido pelo Rio de Janeiro 2.434.552 de linhas (11,20%), e Minas Gerais, 2.304.859 de linhas (10,60%).