Colegas de PM assassinado fazem coleta para custear enterro


Os policiais conseguiram mobilizar os amigos de turma e policiais que trabalhavam com a vítima

POLÍCIA MILITAR Publicada: 18/11/2017 23:16:40 Autor: Diário Do Pará
Foto: Reprodução
.

O corpo do cabo da Polícia Militar Izaias Fernandes da Silva Filho foi enterrado neste sábado (18) em um cemitério na rodovia BR-316, em Marituba. O policial estava no quintal de familiares quando foi morto a tiros na tarde de ontem (17).

Para que o sepultamento fosse realizado, colegas de farda se mobilizaram para conseguir custear o valor do terreno para o sepultamento, orçado em R$2.300. A família do cabo assassinado pagava plano funerário que não cobria o sepultamento.

Os companheiros reclamam que o Estado não prestou nenhuma assistência ao militar.

“Assim que fomos informados do assassinato, entramos em contato com órgãos como a FUNSAU (Fundo de Saúde dos Servidores Militares) e não obtivemos nenhum apoio”, disse um amigo de turma do cabo assassinado que prefere não ser identificado.

“O Governo do Estado tinha como obrigação dar apoio à família do Izaias, mas não houve nem um capelão da PM”, desabafou.

Ainda segundo o amigo, os familiares da vítima estavam “desamparados e desnorteados” com a situação. “Por isso, nós, amigos, resolvemos tomar a frente”.

Assim, os policiais conseguiram mobilizar os amigos de turma e policiais que trabalhavam com a vítima, na região de Capitão Poço, para que o companheiro de farda pudesse ser sepultado.

Para os policiais, a situação de Izaias é só um exemplo das condições da Polícia Militar no Pará. “Estamos há três anos sem reajuste. Muitos policiais já estão com dificuldades. Outras categorias conseguiram ser atendidas, mas a PM é esquecida pelo Governo do Estado”.

Galeria de Fotos

Publicidade

Comentários

Comente está notícia:

Entrar na Rede SBC Brasil